Menu

Maze Runner (Ordem de Extermínio e Arquivos) [Livros]


E aqui estou eu com as resenhas dos dois últimos volumes de Maze Runner (se você não leu o post anterior com os três primeiros livros, confira aqui), agora como prometido anteriormente trago minha conclusão sobre esta saga, confiram!

Maze Runner




Bom, após vários sentimentos que estes cincos livros despertaram em mim trago para vocês minha opinião geral sobre a conclusão desta trama. Antes, acho justo falar um pouquinho de cada livro, lembrando que vocês devem ler a resenha dos três anteriores (clique aqui) para entenderem os pontos de vista mencionados nestes últimos volumes.



Antes de o CRUEL existir, antes que houvesse o Labirinto e muito antes que Thomas ingressasse na Clareira, as chamas solares assolaram a Terra e destruíram o mundo que a humanidade considerava salvo... Mark e Trina estavam lá quando tudo aconteceu, e sobreviveram. Mas sobreviver às chamas foi fácil se comparado ao que viria depois. Agora, um vírus que toma conta da mente com violência e dor se espalha por todo lugar e existe algo muito suspeito sobre sua origem. Pior ainda: ele está em mutação e as evidências sugerem que a humanidade se ajoelhará diante do caos, prevendo uma morte inevitável e assustadora. Mark e Trina estão convencidos de que existe uma maneira de salvar os poucos que restaram. E estão certos de que podem encontrá-los. Porque neste novo e devastado mundo, cada vida tem um preço. A sua também. E para alguns, você vale muito mais morto do que vivo. Ordem de Extermínio é a origem da trilogia Maze Runner, best-seller do New York Times, sucesso internacional em vários idiomas. Aqui encontraremos a história da destruição do mundo e da civilização, e de como o Fulgor fez com que alguns planejassem soluções drásticas e cruéis para a sobrevivência dos seres humanos... e do planeta à beira do caos e da extinção. 

Estava muito frustrada com todas as minhas perguntas que estavam sem resposta, posso dizer agora que pelo menos com este quarto livro algo pôde ser salvo em toda a saga Maze Runner. Algumas questões que estavam martelando na minha cabeça foram esclarecidas porém como James tem prazer em despertar curiosidade no leitor obviamente ele colocou outras para deixá-las sem resposta.

Temos novos personagens apresentados aqui e embarcamos com eles em uma jornada que se passa 13 anos antes dos acontecimentos no labirinto (de Correr ou Morrer), a narrativa do livro me cansou em alguns momentos pelo fato de ser tão incrivelmente idêntica aos anteriores mesmo se tratando de uma visão em relação a outro personagem, o lado bom é que podemos conhecer a trajetória desde a infância de uma determinada pessoa dos livros anteriores e isso se tornou um esclarecimento de certo modo, mesmo assim ainda queria saber sobre os clareanos em si e suas infâncias, mas tive que me conformar com essa falta. Achei alguns acontecimentos cruéis, sério gente, muita violência gratuita aqui, após os fatos do terceiro livro (os quais fiquei literalmente pasma), em Ordem de Extermínio fiquei também chocada (e muito!) porém a saga se baseia nesta realidade e o autor quis mostrar como o ser humano pode ser capaz de fazer coisas terríveis ao beirar a insanidade.

O mais importante é que considero após este livro que esta saga foi literalmente salva, mesmo eu tendo me arrastado um pouco para terminar o volume, após as primeiras 160 páginas, as coisas ficaram interessantes e consegui finalizar esta trama que não entrará para minha lista de preferidas porém também não se tornou uma das que menos gostei. Acho que posso dizer que entendi a proposta do autor, na maioria das vezes nunca poderemos encontrar as verdades por trás dos diversos mistérios que afligem a humanidade e Maze Runner provou isso.



Neste volume você terá acesso a documentos altamente confidenciais: e-mails entre os funcionários do CRUEL, memorandos que deveriam ter sido destruídos logo após serem lidos e uma seleção das lembranças de alguns Clareanos. Todos esses arquivos compõem mais uma obra escrita por James Dashner e ilustrada por Marcelo Orsi Blanco, que oferece um olhar único para o universo de Maze Runner e uma leitura obrigatória para fãs da saga. Logo que tiver acesso a estas informações, você saberá claramente se o CRUEL é bom ou não...

E com certeza este volume caiu como uma luva para completar e concluir definitivamente toda a saga Maze Runner porém não esperem grandes esclarecimentos porque James obviamente não faria isso. Temos aqui um extra e essa era a real intenção do autor, como foi possível perceber. 

Mesmo assim gostei do livro e acho que o objetivo dele foi concluído, ao ler somos apresentados aos funcionários do Cruel e suas perspectivas em relação aos experimentos e a partir daí cabe ao leitor decidir se o CRUEL é realmente bom. Um ponto muito positivo é que temos uns “extras” incríveis de determinados personagens, as lembranças que eu estava desejando em Ordem de Extermínio apareceram aqui, o que eu gostei muito pois estava frustrada com o fato de algumas histórias destes terem sido totalmente desconsideradas ao decorrer da trama porém aqui, mesmo que pouco, temos um contentamento em relação a isso. 

Vale destacar o quanto passei a amar o Minho mais ainda após este volume, um incrível personagem com seus toques irônicos e sua fidelidade implacável, simplesmente posso afirmar que este é o meu personagem preferido de toda a saga e se James quiser escrever um livro só sobre ele serei a primeira a apoiar, sério pessoas, acho que realmente me apaixonei. (rsrs). Se alguém inventar um modo de trazer personagens de livros ao mundo real, traz o Minho e me dá de presente, certo? Obrigada! (rs)


Após todos os livros e as diversas emoções que Maze Runner me fez sentir desde empolgação, animação, choque, frustração, raiva à felicidade, no geral, recomendo sim todos os livros mas aviso-os que devem ler sem muita expectativa pois acreditem é melhor serem surpreendidos do que decepcionados. James derrapou em algumas coisas, descontentou em outras porém não se deve jogar sua obra no lixo e considerá-la extremamente ruim, pelo contrário, merece respeito. 

Mesmo eu tendo quase o colocado na minha lista mental “merece ser insultado”, posso afirmar que o autor conseguiu se salvar e até o elogio se quiserem (rsrs). O final de todo o enredo considero justo, apesar de não ter concordado muito com algumas coisas que aconteceram com certos personagens, no geral, considero um fim satisfatório.

Depois de acompanhar todos estes acontecimentos e enxergar ambas as visões possíveis a partir dos personagens, mesmo em decorrência da ruína em que se encontrava o mundo neste universo de Maze Runner não posso deixar de concluir que o CRUEL, na minha mais sincera opinião, não é bom. Apesar de todas as justificativas, desculpas e razões apresentadas, esta fundação não me convenceu. 
Agora cabe a vocês lerem e decidirem se CRUEL é bom ou não.

P.S.: CRUEL significa Catástrofe e Ruína Universal: Experimento Letal. Achei isto super interessante pois se encaixa perfeitamente com o ambiente em que a história se passa e os propósitos da Organização.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Sua opinião também é importante. Comente! (:

Topo